Abrir menu

Blog da Kube.

“Smellscapes” – projetando para o olfato

Você já pensou em projetar para o olfato, criando cheiros para promover certas respostas através da memória? A autora de arquitetura Maria Lorena Lehman escreveu sobre o assunto em seu site Sensing Architecture®, e você pode conferir a tradução abaixo.

Paisagem de cheiros: Projetando para o sistema olfativo

Redescobrindo o ambiente olfativo

Você já pensou em “smellscapes” (“paisagens olfativas”) para design? E você já considerou que pode criar cheiros para o sentido olfativo para promover certas reações através da memória? Bem, o olfato é uma parte importante no modo que sentimos nossos arredores. Um artigo com Sissel Tolaas, uma química especializada na informação olfativa, ensina alguns pontos bem interessantes de como o cheiro nos impacta. Na verdade, Tolaas explica o seguinte:

“…os perfumes, sabonetes e cheiros portáteis de padaria que camuflam os aromas de corpos e ruas fazem a humanidade um desserviço. [...] Quando eliminamos cheiros [...] nós tiramos das cidades seu senso de espaço, e tiramos das pessoas uma ferramenta valiosa de comunicação e navegação.” 

O aroma oferece um tipo de “caminho” que não só se torna parte de nossa experiência de um espaço, como também serve como um lembrete ou guia de comportamento para aquele local. Um cheiro pode agir como uma fronteira que sinaliza o que temos a frente, ou o que já passou. Às vezes, pode provocar uma memória poderosa – e emocionalmente nos reconectar com nossas experiências passadas. Apesar disso, o vocabulário para descrever aromas diferentes não é muito diverso, assim fazendo a informação olfativa um pouco invisível e intangível.

SmellscapeImage.jpg

Projetando um trajeto olfativo

 

Quando está desenhando um espaço, você já considerou o que o trajeto olfativo será para seus visitantes? Tanta atenção é dada para a visão durante um projeto, mas pouca é gasta no olfato. Imagine como seu design pode melhorar ao fazer decisões do projeto que levam em conta o olfato. Sua arquitetura pode atingir seus visitantes em níveis mais fortes ao usar o cheiro para provocar emoção.

Claro, diferentes cheiros podem ter diferentes significados para cada pessoa. Ainda assim, podem existir algumas respostas universais para certos cheiros também. A chave é descobrir o rumo do seu design. E, então, se pergunte: que emoções, comportamentos, e memórias você quer que seus visitantes sintam? E como podem diferentes aromas de materiais arquitetônicos, natureza, ou outros visitantes fazem para fortalecer esses resultados?

Personalizando o espaço pelo cheiro

E se um cheiro em específico te trouxer uma forte memória? Dessa forma, sentir esse aroma pode te ajudar a sentir novamente o passado através da visualização dessa memória. Como um designer de ambientes, você deve considerar como o cheiro do lugar pode ser lembrado. Ao mesmo tempo, é esse olfato invisível que pode deixar a impressão emocional mais duradoura no visitante.

Então, se você puder escolher um cheiro particular para agir como o gatilho que ajudará os visitantes a lembrar a experiência no seu ambiente... qual seria? Ele seria uma combinação de perfumes ao mesmo tempo para criar uma “paisagem olfativa”? Ou seria um aroma específico que imediatamente fariam seu visitante lembrar sua experiência?

Conforme você projeta, tenha certeza de usar o estímulo olfativo para fazer seus ambientes arquitetônicos melhores. Incorporando estrategicamente o cheiro nas experiências de seus visitantes, você fará com que sua arquitetura chegue a novos níveis – porque você estará usando métodos multissensoriais para conectar com as pessoas através do seu design. E isso vai render em experiências arquitetônicas mais profundas que aumentam não só a formação da memória, mas também o aprendizado e a resposta emocional.

Confira o texto original aqui.

Gostou? Compartilhe em suas redes sociais: